Equipe de fiscalização de olho no gerenciamento dos resíduos sólidos residenciais .:. Prefeitura Municipal de Valparaíso de Goiás

Monitoramento Ambiental
Equipe de fiscalização de olho no gerenciamento
dos resíduos sólidos residenciais

Equipe de fiscalização de olho no gerenciamento dos resíduos sólidos residenciais

O aterro sanitário de Ocidental é preparado para receber resíduos sólidos residenciais do próprio município e também de Valparaíso de Goiás
Publicado em 23/01/2017 às 13:12

Nesta quinta-feira, 05/01, a equipe de fiscalização e acompanhamento de limpeza urbana de Valparaíso de Goiás visitou o aterro sanitário de Cidade Ocidental para apresentar a nova equipe de trabalho e alinhar ações estratégicas com a Quebec, para que não haja reclamação da população sobre a questão de coleta de resíduos sólidos residenciais, além de averiguar a destinação responsável e final desses resíduos.

 

O aterro localizado em uma área rural a 7km do centro de Cidade Ocidental, distância que atende às exigências das normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), recebe lixos oriundos do município de Valparaíso de Goiás e de Cidade Ocidental 24 horas por dia.

 

A Quebec, empresa ganhadora da Concessão de exploração do terreno, realiza a devida preparação do aterro sanitário para receber e guardar definitivamente os resíduos para que não haja contaminação do lençol freático.  O solo é impermeabilizado para não haver danos à natureza, diferentemente do que ocorre nos lixões.  O lixo recebe camadas de terra sobre ele, essas camadas de compactação de lixo são chamadas de bermas, cada setor suporta o limite de 60 metros de resíduos, o que corresponde a cinco bermas, segundo os técnicos da Quebec.

 

 “O chorume é o principal componente do lixo. Aqui esse componente recebe um atenção especial, já que é o principal responsável pela poluição e contaminação do solo. O chorume é levado para as lagoas de tratamento, e depois encaminhado para a Saneago, os responsáveis por dar a destinação final. O restante volta para a recirculação. Também realizamos o monitoramento e queima dos gases provenientes dos resíduos enterrados”, declarou Edileno, encarregado.

 

Os aterros sanitários são as formas mais conhecidas e usadas para disposição final de resíduos. Para ser qualificado, o aterro deve se encaixar na Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), observando as normas operacionais de ordenamento para que não haja danos ou risco ao meio ambiente e à saúde pública.

 

 

Texto: Juliana Gentila

Fotos: Sérgio Grant